Sobre a vacinação em Araxá

O cronograma de vacinação na cidade de Araxá, segue o Plano de Imunização Nacional implantado pelo Governo Federal e da Secretaria de Estado de Saúde.

As doses são aplicadas na população de acordo com as remessas distribuídas pelo Governo de Estado de Minas Gerais aos municípios.

Cronograma de Vacinação

Acompanhe a vacinação

Programa de imunização do município de Araxá. Doses aplicadas por grupo:

Forças de segurança e salvamento • 39 doses
Pessoas de 65 a 69 anos • 712 doses
Pessoas de 70 a 74 anos • 2.911 doses
Idosos de 75 a 79 anos • 3.249 doses

Vacinar é salvar vidas.

Vídeos

Acompanhe aqui vídeos relacionados a Vacinação na cidade de Araxá.

Perguntas Frequentes

Confira perguntas e respostas sobre a vacinação contra a Covid-19.

  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
    Pessoas com deficiência institucionalizadas
    Povos indígenas vivendo em terras indígenas
    Trabalhadores de saúde
    Pessoas de 90 anos ou mais
    Pessoas de 80 anos ou mais
    Pessoas de 75 a 79 anos
    Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas
    Povos e comunidades tradicionais quilombolas
    Pessoas de 70 a 74 anos
    Pessoas de 65 a 69 anos
    Pessoas de 60 a 64 anos
    Indivíduos com comorbidades (doenças que favorecem o agravamento da Covid-19)
    Pessoas com deficiência permanente grave
    Pessoas em situação de rua
    População privada de liberdade
    Funcionários do sistema de privação de liberdade
    Trabalhadores da educação do Ensino Básico
    Trabalhadores da educação do Ensino Superior
    Forças de segurança e salvamento
    Forças Armadas
    Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros
    Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário
    Trabalhadores de transporte aéreo
    Trabalhadores de transporte aquaviário
    Caminhoneiros
    Trabalhadores portuários
    Trabalhadores industriais

  • Sim. A vacinação é recomendada para toda a população apta a receber o imunizante, inclusive as que já tiveram COVID-19.

    Embora a maioria das pessoas que contraíram a doença tenham gerado resposta imune, nem sempre essa resposta é protetora e/ou duradoura. Portanto, as pessoas que tiveram COVID-19 deverão receber a vacina. 

  • CoronaVac - duas doses de 0,5ml, com intervalo entre duas e quatro semanas.

    AstraZeneca/Universidade de Oxford - duas doses de 0,5ml, com intervalo de 12 semanas entre uma dose e outra.

  • A CoronaVac tem eficácia de 50,4% enquanto que a vacina AstraZeneca/Oxford tem 70%. Ambos imunizantes apresentaram, em estudos clínicos, uma eficácia de 100% para evitar casos graves da Covid-19 e, consequentemente, os óbitos. Portanto, são seguras e eficazes para o principal objetivo de uma vacina, que é diminuir a circulação do patógeno e evitar óbitos causados por ele.

  • O Ministério da Saúde criou um Plano Nacional de Vacinação que estipula quais são os grupos que devem receber a vacinação. 
    Ao adquirir as vacinas, o Governo Federal distribui as vacinas entre os Estados, que destina aos munícipios com a orientação dos grupos a serem priorizados em cada etapa.  
    A população-alvo da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Covid-19, foi priorizada seguindo os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. 
    O escalonamento desses grupos populacionais para vacinação ocorre conforme a disponibilidade das doses de vacina. Este plano está sendo seguido à risca pela Prefeitura Municipal de Araxá.
     

  • Até o momento, o Governo Federal foi o único responsável pela negociação das doses de vacinas junto às fabricantes. No entanto, decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 23 de fevereiro autorizou as negociações feitas diretamente pelos municípios, caso o Ministério da Saúde falhe ou seja omisso com o Plano Nacional de Imunização (PNI), ou na hipótese em que a cobertura planejada pela pasta não seja suficiente contra a doença. O prefeito Robson Magela já está em articulação para a aquisição de doses da vacina junto às fabricantes.

  • Ao adquirir as vacinas, o Governo Federal distribui as vacinas entre os Estados que, por meio das Gerências Regionais de Saúde, enviam as doses ao município. O número de doses destinadas a cada município segue critérios pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

  • O grupo prioritário estipulado pelo Ministério da Saúde compreende 77,2 milhões de brasileiros. Outras 86 milhões de pessoas estão no grupo não-prioritário, ou seja, são menores de 60, que não estão em condição de vulnerabilidade, não atuam em profissões essenciais e não têm comorbidades. Essas pessoas serão imunizadas depois que todos os 77,2 milhões de brasileiros classificados como prioritários forem vacinados. 

  • Sim. Cerca de 48 milhões de brasileiros que compreendem as gestantes e menores de 18 anos não irão receber a vacina. A decisão é baseada na falta de testes e estudos clínicos para este grupo.

  • Não. Todas as precauções são necessárias sempre, independentemente da imunização.
    Por isso, todas as pessoas, inclusive as vacinadas, devem continuar seguindo as medidas de prevenção individual e coletiva. Como: uso de máscara, higienização das mãos (com água e sabão ou álcool gel) e distanciamento social.